quinta-feira, 19 de abril de 2012

Eliminado: Ceará vacila e cai na copa do Brasil

Ceará sai na frente, tem a vaga na mão, mas cochilo aos 45 do 2º tempo tira a vaga do time nas oitavas
Um vacilo aos 45 minutos do segundo tempo custou a vaga do Ceará para as oitavas da Copa do Brasil. O placar de 1 a 0 lhe daria a vaga diante do Paraná, ontem na Vila Capanema, em Curitiba, mas ao sofrer o empate perto do fim do jogo, o Vovô amargou a eliminação do torneio.

Isso porque no primeiro jogo, no PV, o Ceará ficou no empate em 2 a 2 com o time paranaense, e foi eliminado pelo critério dos gols marcados fora de casa.

Ao deixar a vitória escapar, o Vovô manteve vivo um desagradável tabu. São 14 jogos sem vencer por lá. A última vitória dos alvinegros foi em 1982, portanto, há 30 anos, seja por Copa do Brasil ou Séries A ou B. Ou seja, jogar no Paraná definitivamente não dá sorte ao Ceará.

Mesmo iniciando o jogo classificado, o Paraná começou em cima do Ceará. Abusando da velocidade e da juventude de seus jogadores, principalmente de Luisinho e Nilson, o time da casa, apoiado pela torcida, fez a defesa do Vovô se virar para conter as jogadas.

Mais experiente, o Ceará só foi se encontrar a partir dos dez minutos. Aos 12, em contra-ataque rápido, Mota chutou forte e o goleiro Luis Carlos defendeu em dois tempos. No lance seguinte, Rogerinho bateu falta e Luis Carlos tirou de soco.

Mas a partir dali, o jogo, que já era pegado, começou a ficar mais violento e catimbado. O zagueiro Potiguar deu um pisão no adversário e Alex Bruno uma cotovelada em Apodi.

E aos poucos o árbitro passou a distribuir cartões amarelos. Mota, e os goleiros Fernando Henrique e Luis Carlos por reclamação e Márcio Careca, Potiguar, Alex Bruno por faltas duras. Com a partida ríspida, os lances de gol eram raros. Só aos 23, Rogerinho bateu escanteio e Mota cabeceou para o chão para Luis Carlos fazer um milagre.

Aos 35, o técnico do Ceará, PC Gusmão, foi expulso ao reclamar com o árbitro que o zagueiro paranista Alex Bruno, já com amarelo, deveria receber o segundo. Ao deixar o campo, vociferou: “palhaçada”.
Com a expulsão do técnico, o preparador físico Jorginho Sotter passou a comandar o time da borda do campo.

Vaga na mão
No segundo tempo, os ânimos voltaram mais amenos e o ritmo do jogo caiu. Muito pelo time da casa, o Paraná, classificado com o empate sem gols. E esse teria sido o erro do jovem e inexperiente time paranista.

Satisfeito com o resultado, mas esquecendo que um gol daria a classificação ao Ceará, deixou o jogo morno.

Só que aos 23, Felipe Azevedo chutou colocado e Luis Carlos defendeu. O Paraná acertou a trave no lance seguinte, mas na sequência, o Vovô armou um contra-ataque com Rogerinho finalizando a jogada e fazendo 1 a 0. O meia, que perdeu o pai na última terça, foi muito festejado pelos colegas.

O gol deixou o jovem time tricolor e a sua torcida atônitos. Assim, o Vovô passou a controlar o jogo. Mas faltou ampliar o placar, ainda perigoso, já que um gol do Paraná o eliminaria.

E foi isso que aconteceu. Aos 45, em uma bola alçada na área, Douglas Tanque recebeu livre e de bico, finalizou para empatar o jogo. Com a partida indo aos 51 minutos, o Alvinegro ainda foi à frente e quase marcou o gol da classificação, em chute de Mota que o zagueiro Alex Bruno tirou em cima da linha.

Ficha técnica
Paraná 1
Luís Carlos; Paulo Henrique, André Vinícius, Alex Bruno e Henrique; Alex Alves, Douglas Packer, Luisinho (Aymen)e Wendell (Douglas Tanque); Elias (Maicon) e Nilson
Técnico: Ricardinho

Ceará 1
Fernando Henrique; Apodi, Thiego, Potiguar (Daniel Marques) e Márcio Careca; Régis, Éverton, Eusébio e Rogerinho (Paulinho); Mota e Felipe Azevedo (Romário)
Técnico: PC Gusmão

Copa do Brasil 2012 - 2ª Fase (jogo de volta)
Estádio: Durival de Brito e Silva, em Curitiba (PR)
Data: 18 de Abril de 2012
Árbitro: André Luis Castro (GO)
Assistentes: Fábio Pereira (TO) e Márcio Soares (GO)
Gols: Rogerinho (25/2T) e Douglas Tanque (45/2T)
Renda: R$ 226.460,00.
Público: 9.609 pagantes.
Cartões Amarelos: Alex Bruno e Luís Carlos (PAR), Potiguar, Fernando Henrique, Márcio Careca, Mota e Daniel Marques (CEA)
Cartões Vermelhos: Thiego (CEA)

Do Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou disso?